novidades

Inteligência artificial vai aumentar a nossa memória

De acordo com o criador da Siri, a inteligência artificial vai aumentar a nossa memória.

Um dia, a inteligência artificial pode superar a inteligência humana, mas, se for projetada corretamente, ela também pode ser usada para melhorar a cognição dos seres humanos.

Pelo menos é essa a visão de Tom Gruber, um dos desenvolvedores da assistente virtual Siri. Durante uma conferência do TED 2017, Gruber afirmou que a inteligência artificial pode ser usada para aumentar a memória humana.

"E se você pudesse ter uma memória que fosse tão boa quanto a memória do computador e fosse sobre sua vida?", perguntou o desenvolvedor ao público. "E se você pudesse se lembrar de cada pessoa que você já conheceu? Como pronunciar seu nome? Os detalhes das suas famílias? Seus esportes favoritos? A última conversa que você teve com eles?”

Segundo Gruber, a possibilidade da inteligência artificial ser usada para catalogar nossas experiências e melhorar nossa memória não é apenas uma ideia, mas é algo inevitável. Um dos principais motivos é porque os dados sobre as mídias que consumimos e as pessoas com quem conversamos estão disponíveis na internet e os nossos smartphones são capazes de mediar nossas vidas.

Embora a ideia de armazenar digitalmente nossas memórias levante uma série de possibilidades inquietantes, principalmente em relação à privacidade, Gruber ressalta que o aprimoramento de memória por meio da AI poderia mudar a vida daqueles que sofrem de Alzheimer ou outras demências.

Na verdade, Gruber não é o único no Vale do Silício que está pensando em maneiras de entrar na sua cabeça. Na semana passada, durante a conferência anual de desenvolvedores do Facebook, Mark Zuckerberg compartilhou o objetivo de desenvolver sensores não-invasivos, capazes de ler as atividades cerebrais do usuário e traduzir os pensamentos para o computador.

 

Fonte: Olhar Digital

Voltar

 

novidades

Inteligência artificial vai aumentar a nossa memória

De acordo com o criador da Siri, a inteligência artificial vai aumentar a nossa memória.

Um dia, a inteligência artificial pode superar a inteligência humana, mas, se for projetada corretamente, ela também pode ser usada para melhorar a cognição dos seres humanos.

Pelo menos é essa a visão de Tom Gruber, um dos desenvolvedores da assistente virtual Siri. Durante uma conferência do TED 2017, Gruber afirmou que a inteligência artificial pode ser usada para aumentar a memória humana.

"E se você pudesse ter uma memória que fosse tão boa quanto a memória do computador e fosse sobre sua vida?", perguntou o desenvolvedor ao público. "E se você pudesse se lembrar de cada pessoa que você já conheceu? Como pronunciar seu nome? Os detalhes das suas famílias? Seus esportes favoritos? A última conversa que você teve com eles?”

Segundo Gruber, a possibilidade da inteligência artificial ser usada para catalogar nossas experiências e melhorar nossa memória não é apenas uma ideia, mas é algo inevitável. Um dos principais motivos é porque os dados sobre as mídias que consumimos e as pessoas com quem conversamos estão disponíveis na internet e os nossos smartphones são capazes de mediar nossas vidas.

Embora a ideia de armazenar digitalmente nossas memórias levante uma série de possibilidades inquietantes, principalmente em relação à privacidade, Gruber ressalta que o aprimoramento de memória por meio da AI poderia mudar a vida daqueles que sofrem de Alzheimer ou outras demências.

Na verdade, Gruber não é o único no Vale do Silício que está pensando em maneiras de entrar na sua cabeça. Na semana passada, durante a conferência anual de desenvolvedores do Facebook, Mark Zuckerberg compartilhou o objetivo de desenvolver sensores não-invasivos, capazes de ler as atividades cerebrais do usuário e traduzir os pensamentos para o computador.

 

Fonte: Olhar Digital

49 3444 2530 - 99994 4335
Rua Anita Garibaldi, nº 365, Sala 205
Concórdia - SC - 89700-000


O2 MULTI